Notícias

Viagem Corporativa e CLT: fique por dentro da lei

Postado em 14/03/2018

Empresas que praticam com constância o turismo corporativo devem atentar para o que diz a Consolidação das Leis do Trabalho sobre pontos importantes em uma viagem corporativa

Viagem Corporativa

Viagem Corporativa

Muitas são as empresas que se preparam com políticas de viagens bem elaboradas e executadas para fazer negócios no mundo do turismo corporativo. Porém, além de todo planejamento administrativo e estratégico, é preciso estar por dentro da legislação para não ser pego de surpresa. Neste cenário, a Consolidação das Leis do Trabalho aborda uma série de fatores que devem ser levados em consideração e conhecidos mais a fundo.

Confira:

HOSPEDAGEM: em viagens de trabalho, quem deve pagar pelas diárias é o empregador. O que muitas empresas acordam com seus colaboradores é um valor fixo a ser disponibilizado para hospedagem e, em caso do limite ultrapassado, ele deve ser assumido pelo funcionário. Naturalmente, todas estas informações devem fazer parte da política de viagens.

Vale ressaltar que valores extrapolados não serão reembolsados e que em caso das diárias de viagem corporativa que ultrapassem mais da metade do salário do colaborador, este valor deve ser incorporado aos seus ganhos mensais, influenciando também em férias e fundo de garantia, por exemplo;

REEMBOLSOS: algumas organizações optam pela política de reembolso. Neste caso, o acordado é que o colaborador utilize seu próprio dinheiro e comprove os gastos ao retornar da viagem corporativa. Há situações onde pode ser feito um adiantamento e, em caso de não ser suficiente, o funcionário também é ressarcido, desde que tudo esteja corretamente documentado. Este modelo de operação atende melhor às empresas que não realizam com tanta frequência viagens de negócios;

HORA EXTRA: a CLT dá margem a interpretações diferenciadas acerca de horas extras. Uma corrente afirma que se o colaborador em viagem corporativa exercer suas funções apenas no horário convencional a que está habituado, não cabe o pagamento.

Outra afirma que além das horas extras ‘convencionais’ em razão de uma demanda ou solicitação fora do horário de expediente, há ainda a se considerar todo o tempo gasto em viagens corporativas, como o tempo que começa a contar a partir do momento que o colaborador sai de casa para se dirigir ao seu destino.

A Tristar Turismo é uma agência de viagem corporativa que preza por soluções inovadoras e customizadas para sua empresa realizar bons negócios no turismo corporativo. Venha ser nosso parceiro e viaje com segurança e tranquilidade.

A Tristar Turismo está preparada para buscar e oferecer soluções eficientes e personalizadas.

Saiba mais sobre os serviços de Viagem Corporativa

Acesse Nossa Página no Facebook facebook.com/TristarTurismo/

Conheça também nosso site tristaroperadora.com.br/

Entre em contato conosco teremos muito prazer em atendê-lo.

Voltar